Ejaculação Precoce – Causas – Diagnóstico – Tratamento Eficaz

Introdução

Um dos problemas mais importantes e comuns (especialmente em uma idade jovem) que os homens enfrentam é a ejaculação precoce. A ejaculação precoce é definida como a ejaculação involuntária em menos de 60 segundos após a penetração em mais de 50% do número total de penetrações.

Os problemas causados ​​pela doença na vida sexual do paciente e os efeitos que ela tem no relacionamento normal do casal são evidentes. De fato, muitas vezes, além da frustração, a pessoa frequentemente evita a atividade sexual.

Quando aparece?

A ejaculação precoce pode ocorrer desde o início da vida sexual de um homem (primário). Ou seja, o homem experimenta o problema continuamente desde sua primeira experiência sexual. Nesta versão, a ejaculação ocorre muito rapidamente, às vezes antes da penetração vaginal.

No entanto, pode aparecer em algum momento sem um histórico anterior (adquirido). Nesse caso, aparece gradualmente ou de repente. Antes disso, o homem geralmente ejaculava em tempo suficiente para desfrutar da relação sexual.

Causas

Embora no passado as causas fossem puramente psicogênicas, agora tanto o fator psicológico quanto o fator biológico são reconhecidos como causas, uma vez que é observada disfunção do receptor central da serotonina.

Quanto à ejaculação precoce primária, as causas são ansiedade, alguma hipersensibilidade ao prepúcio ou um distúrbio da serotonina em seus receptores no cérebro.

A ejaculação secundária causa disfunção erétil, hipotireoidismo, prostatite crônica, condições neurológicas e efeitos colaterais dos medicamentos.

Tratamento

Para tratar a doença, é da maior importância obter um histórico completo do paciente, que por sua vez deve ser detalhado nas informações que ele fornecerá ao médico assistente. Em particular, o médico deve saber:

  • Se o paciente é diabético ou tem doença renal ou sofre de angina
  • Quaisquer neuropatias ou lesões e lesões na coluna vertebral e nos órgãos genitais
  • Se o paciente tiver sofrido inflamação do trato urinário ou da próstata
  • Qualquer doença endocrinológica (por exemplo, hipertireoidismo) ou psiquiátrica do paciente
  • Quaisquer operações realizadas pelo paciente
  • Medicamentos (por exemplo, psicotrópicos) que o paciente pode estar tomando

Obter uma história sexual também é de suma importância, pois o médico deve ter uma imagem “objetiva” do tempo de ejaculação. Ele também deve estar ciente de que a ejaculação precoce é acompanhada por outras disfunções, como disfunção erétil.

A colaboração adequada entre médico e paciente durante a relação sexual ajudará o médico a determinar se o problema da ejaculação precoce está relacionado a:

  • Experiência sexual prematura ou traumática
  • Experiência traumática de punição por masturbação
  • Violência ou abuso sexual
  • Aumento do estresse relacionado ao desempenho sexual etc.

Na próxima etapa, o médico deve investigar o comportamento social do paciente (qualquer isolamento social, baixa auto-estima, problemas no trabalho, qualquer apoio que ele recebe do parceiro para lidar com o problema, etc.) e depois proceder:

  • Em testes de laboratório (análise geral de sangue e urina, cultura de urina e espermatozoides, testes hormonais, PSA)
  • Em um exame clínico dos órgãos genitais
  • Urinálise por ultrassom

Muitas pessoas utilizam de estimulantes sexuais. Algo que vem resolvendo muitos dos problemas sexuais, como cita o https://informacaoblogger.com/zyndrox-funciona/. Mas lembre-se, não deixe de consultar seu médico.