As causas da insônia

As causas da insônia

A  insônia  é a incapacidade de uma pessoa dormir, ficar dormindo e / ou dormindo horas que você precisa para descansar adequadamente. Atualmente, o ritmo acelerado de vida, o estresse ou os problemas financeiros fazem com que o número de pessoas que sofrem de insônia cresça cada vez mais.

Pode-se diferenciar entre  insônia transitória  (se ocorrer por um curto período de tempo de menos de três meses) ou  insônia crônica (quando persiste por meses e até anos). Também podemos distinguir entre  insônia de início (problemas para começar a dormir em menos de 30 minutos) ou  insônia de manutenção (problemas para permanecer dormindo, causando despertares noturnos ou acordar prematuramente).

A insônia geralmente é o resultado de uma combinação de fatores médicos, psicológicos e pessoais que variam de pessoa para pessoa.

Entre as  causas médicas que podem causar insônia estão doenças do sono, distúrbios psiquiátricos, doenças metabólicas e hormonais, neurológicas, reumatológicas, digestivas, cardiovasculares, aquelas que podem interromper o sono por dor ou doenças urológicas devido à necessidade urgente de urinar. Gravidez e menopausa também são fatores a serem considerados.

As causas externas , por outro lado, muitas vezes envolvem fatores ambientais que influenciam negativamente em nossa capacidade de cair e / ou manter o sono: maus hábitos, uso e abuso de substâncias e drogas, horários de trabalho inadequados, viagens frequentes ao exterior, problemas pessoais, etc.

Os hábitos de vida pouco saudável  (como excesso de trasnochar, falta de rotina para dormir, hiperatividade física, assistir TV ou navegar na internet pouco antes de dormir) também são fatores determinantes.

Quais são os seus sintomas

O principal sintoma da insônia é a dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo . O resultado é falta de sono e conseqüente cansaço. Existem três sintomas principais:

  • Uma grande dificuldade em adormecer (a pessoa passa muito tempo deitada ou revirando-se antes de adormecer).
  • Acordar com frequência durante a noite ou dormir intermitentemente.
  • Acordar muito cedo pela manhã sentindo cansaço e demonstrando sonolência, irritabilidade e dificuldade de concentração durante o dia.

A insônia pode, por sua vez, ser um  sintoma de algum outro problema, como depressão, dor crônica ou estresse. Também pode ser o efeito colateral do tratamento com certos medicamentos.

Que problemas isso pode causar

A insônia causa uma considerável falta de horas de sono que eles têm consequências visíveis no dia a dia das pessoas que sofrem. Não dormir, dormir pouco ou dormir mal pode se tornar um verdadeiro “pesadelo”. Não obter descanso adequado à noite tem  consequências diretas no desempenho físico, mental e emocional .

Entre os  principais efeitos da falta de sono estão:

  • Esgotamento e mal-estar geral.
  • Angústia, depressão e irritabilidade.
  • Alterações de humor.
  • Diminuição da capacidade de atenção.
  • Resposta motora prejudicada.
  • Atraso na capacidade de reagir a estímulos.
  • Declínio na capacidade de tomada de decisão.
  • Piora de memória
  • Possibilidade de desenvolvimento de alterações sensoriais, como redução do campo visual ou abrandamento da fala.
  • Comprometimento de certas funções cerebrais, como flexibilidade e originalidade de pensamento ou percepção.

As consequências da insônia impactam negativamente no desempenho das tarefas diárias, além de diminuir a qualidade de vida e a saúde das pessoas afetadas.

Além disso, a contínua falta de sono está relacionada ao desenvolvimento de certos doenças ou patologias. Também pode causar situações de risco, como sonolência ao volante ou quedas durante a prática de esportes ou trabalho em determinadas situações de trabalho.

Dicas para combatê-lo de forma eficaz

Se você sofre de insônia, estas são algumas dicas que podem ajudá-lo a combatê-la com eficácia:

1. Mantenha o controle

Escreva quanto dorme e a que horas, ao acordar, os sintomas que tem e a que horas do dia ocorrem. Isso o ajudará a identificar as atividades ou costumes que o impedem de adormecer, e você terá em mãos se no final decidir consultar um especialista, pois será muito útil (e ele pedirá mesmo assim).

2. Estabeleça uma rotina saudável

Encontre uma atividade que o relaxe e / ou esgote antes de ir para a cama, evite assistir televisão ou navegar na internet e estabeleça horários adequados para dormir e acordar que você possa seguir até nos finais de semana. Você também não quer forçar muito sua mente antes de ir dormir. Em vez disso, você pode desfrutar de um banho ou chuveiro quente.

3. Use a cama apenas para dormir

Não assista TV nem coma nela, encontre outro lugar para relaxar ou ler e não leve o trabalho para a cama. Verifique se a cama e o colchão são confortáveis. Caso contrário, substitua-os.

4. Evite tabaco, álcool e bebidas emocionantes

A insônia é mais um motivo para deixar de fumar. O tabaco é estimulante e os sintomas de abstinência podem fazer com que você acorde durante a noite se não conseguir dormir. Cafeína e teína também são ruins para o sono. Beber álcool antes de dormir ciclos de sono uma vez que o torpor inicial acabou.

5. Faça exercícios físicos durante o dia

Praticar esportes regularmente durante o dia melhora a qualidade do sono. Tente fazer exercícios cerca de três horas antes de ir para a cama, para que seu corpo tenha tempo de relaxar fisicamente antes de dormir.

6. As sonecas devem ser curtas

Para não perdermos o sono à noite, os cochilos não devem durar mais do que 10 ou 20 minutos e você nunca deve dormir depois das 16h00.

7. Pratique técnicas de relaxamento

Estratégias de relaxamento, como meditação, técnicas de respiração ou relaxamento progressivo podem ser muito eficazes.

8. Cuidado com sua dieta

Evite jantares abundantes para uma digestão pesada e tome infusões relaxantes naturais, como valeriana ou camomila, que ajudam a reduzir a ansiedade e dormir melhor.

9. Crie um ambiente adequado

Reduza a intensidade da luz cerca de 2 horas antes de dormir. A iluminação suave com luz ambiente afeta menos nosso sistema nervoso e nos ajudará a adormecer. Você também pode ouvir música instrumental relaxante ou sons da natureza para induzir o sono. Por último, mantenha o quarto escuro e fresco.

Como regra geral, não é aconselhável insistir em tentar dormir se você não estiver com sono. Nesta situação, o melhor é fazer alguma atividade relaxante  (meditar, ouvir música ou ler) até começarmos a sentir alguma sonolência.

Possíveis tratamentos para insônia

Se os efeitos da insônia começarem a se fazer presentes no seu dia a dia, o melhor é ir ao médico. Como suas causas podem ser múltiplas e variadas, cada caso deve ser estudado individualmente.

Você deve evitar tomar medicamentos sem receita . Os médicos são os que avaliam os possíveis tratamentos e estes podem ser desde hipnóticos a antidepressivos. Em qualquer caso, o tempo de tratamento é limitado para evitar o aparecimento de efeitos colaterais.

Leia mais em: Belsleep funciona

Remédios para sono: quais são eles, mitos e verdades Rafa Cortes

Remédios para sono: quais são eles, mitos e verdades Rafa Cortes

Hoje em dia, remédios para o sono são muito procurados e, provavelmente, você conhece alguém que usa de maneira contínua e garante que sem ele não há garantia de um sono bom. A função mais óbvia desses medicamentos é proporcionar um efeito calmante, ou seja, relaxar a sua mente e/ou o seu corpo.

Você pode facilmente conseguir uma receita desse medicamento com o seu médico, principalmente se alegar problemas para adormecer, por exemplo. O uso moderado e com o conhecimento do profissional de saúde, por outro lado, são, muitas vezes, dispensados pelas pessoas.

Saiba mais sobre os remédios para dormir:

Benefícios;
Riscos do uso em excesso ou combinado;
Cuidados.
Navegue Pelo Conteúdo

1 Vantagens dos remédios para sono
2 Riscos dos remédios para sono
3 Efeitos colaterais dos remédios para sono
4 Mitos e verdades sobre os remédios para sono!
VANTAGENS DOS REMÉDIO PARA INSÔNIA

Quando você chega em casa, após um longo dia de trabalho, cheio de tarefas e estresse com colegas e chefe, tudo o que quer é se jogar na cama e ter uma maravilhosa noite de sono.

Embora seja uma das sensações mais compensadoras do mundo, nem todas as pessoas conseguem pregar o olho e recarregar as energias para o dia seguinte. Muita gente sofre com algum distúrbio do sono,que causa dificuldades para adormecer ou que faz com que o sono fique fragmentado e não repare o dia atribulado.

É aqui que entra os remédios para o sono: os médicos prescrevem o uso de tais medicamentos para induzir o processo. Além disso, eles:

Contribuem para a manutenção das horas de sono;
Diminuem o estado de alertar;
Reduzem a ansiedade;
Estimulam a sensação de calma e tranquilidade.
Destaca-se, também, que o efeito dos remédios para sono, geralmente, é mais rápido e duradouro. Inúmeros remédios para dormir são conhecidos e recomendados pelos médicos, sendo os mais populares:

Alprazolam;
Dramin;
Diazepam;
Lorazepam;
Rivotril;
Sonata;
Zolpidem.
É fundamental frisar que, para adquirir um desses remédios para o sono, é obrigatória a apresentação da receita médica, pois eles são pertencentes às classes das tarjas vermelhas ou pretas.

RISCOS DOS REMÉDIOS PARA SONO
Pelo fato da exigência de receita médica, já é possível entender que esses medicamentos podem apresentar algumas complicações e alguns riscos. Em primeiro lugar, entenda que eles podem fazer com que o seu corpo desenvolva resistência, isto é, por um tempo você realmente notará resultados ótimos durante as dormidas, mas depois eles perdem o efeito e já não agem corretamente.

Mas, o que mais os remédios para o sono podem oferecer de perigo? Veja só:

PODEM VICIAR
Essa é uma discussão antiga e verdadeira. Habituar-se ao efeito dos remédios faz com que você não fique satisfeito(a) com o sono ao decidir dormir sem usar a medicação. Isso é denominado insônia rebote.

AUMENTAM O RISCO DE PARASOMNIA
Esse é um estado de semiconsciência, que causa sonambulismo.

PROVOCAM SONOLÊNCIA
Você pode continuar sentindo sono durante o dia, mesmo que o remédio tenha proporcionado uma noite completa de repouso. É uma sensação similar a uma “ressaca”, sendo que você ficará com falta de energia e com prejuízos em seu ambiente de trabalho, por exemplo.

EFEITOS COLATERAIS DOS REMÉDIOS PARA SONO

Os próprios remédios possuem reações adversas, que surgem logo nos primeiros dias de uso, como:

Sedação durante o dia;
Reflexos mais lentos;
Reação alérgica;
Atividade mental prejudicada;
Quedas e fraturas ósseas, especialmente em idosos.
Além disso, os riscos dos remédios para sono não param. Já pensou sobre como eles lidam com a combinação com outros remédios ou mesmo com álcool? Álcool e medicamentos para dormir é uma interação bastante perigosa e pode acabar sendo fatal. O uso combinado com outras medicações, principalmente sedativos, antidepressivos, antibióticos e analgésicos, pode agravar efeitos colaterais.

Por isso, é essencial que você se consulte com um médico capacitado, para avaliar os riscos e os benefícios do remédio para o seu caso.

MITOS E VERDADES SOBRE OS REMÉDIOS PARA SONO!
Muitas dúvidas surgem quando o assunto aborda as medicações para dormir. Mas, o que é verdade e o que é mentira nesse âmbito? A seguir, estão separadas as informações mais relevantes para que você compreenda os remédios para sono e a sua utilização:

REMÉDIO PARA DORMIR CAUSA RONCO
Verdade. Vários remédios sedativos fazem com que os músculos da garganta fiquem relaxados, o suficiente para causar o ronco ou mesmo para agravar a intensidade de quem já possui esse distúrbio do sono.

É POSSÍVEL TOMAR O REMÉDIO PARA SONO TODOS OS DIAS
Mito. A recomendação é que você evite o uso frequente, não esquecendo que esse tipo de medicamento gera dependência. Além do mais, quanto mais moderado o uso, mais minimizados serão os efeitos adversos.

POSSO TOMAR O REMÉDIO PARA SONO QUANDO ACHAR NECESSÁRIO
Verdade. Muitas pessoas têm o remédio para dormir guardado, para ser usado em casos de emergência, sabendo da importância de não o usar diariamente.

O REMÉDIO PARA SONO NÃO INTERFERE NAS ATIVIDADES DO MEU DIA A DIA
Mito. Vá com calma! Como comentado, os remédios para dormir podem provocar alguns efeitos colaterais, como é o caso do sono durante o dia. Procure evitar dirigir qualquer veículo ou operar máquinas pesadas após a ingestão de qualquer tipo de remédio para dormir.

POSSO ALTERAR A DOSE DA MEDICAÇÃO SEM FALAR COM O MÉDICO
Mito. Siga a dose estipulada pelo médico e informe a ele como o seu organismo está respondendo ao tratamento, prestando atenção aos efeitos adversos.

Caso você tenha receio em iniciar o uso de um remédio para o sono, aposte em terapias alternativas, a fim de melhorar a qualidade do seu repouso. Exercícios físicos, técnicas de relaxamento, psicoterapia e uso de ervas e suplementos são dicas excelentes!